29 de setembro de 2018

O texto como aliado, não como inimigo

Um jeito diferente de encarar a redação e transformar o texto em importante aliado na carreira profissional e na vida cotidiana! A oficina auxilia o participante a considerar a elaboração de textos como uma habilidade natural e espontânea, facilitando a tarefa de quem precisa fazer uso da expressão escrita no trabalho, na escola, no ENEM, na universidade e nos relacionamentos. A partir de técnica que ajuda a superar bloqueios e vícios, o participante será orientado a redigir textos que busquem resultados na vida cotidiana. Textos confusos, pouco objetivos, com erros de português e recheados de clichês e vícios de linguagem funcionam como verdadeiras armadilhas. Podem distorcer ideias e comprometer o sentido do texto e a imagem do autor. Também revelam falta de originalidade e pobreza de vocabulário. Sem saber como começar o texto, sem delimitação do tema e bloqueado pelo “mito da página em branco”, o redator acaba escrevendo “pérolas”, frases sem sentido e ideias ambíguas. Elabora períodos longos e recheados, porém, sem conteúdo.

Escrever bem é fundamental em várias tarefas e profissões: ao advogado, quando escreve uma petição; ao empresário, no seu relatório de investimentos; ou na comunicação instantânea nas redes sociais. A chance de ascensão profissional também está diretamente ligada ao vocabulário que a pessoa domina. Quanto maior seu repertório, mais competência ela terá para absorver novas ideias e conseguir se comunicar. das dificuldades e armadilhas mais frequentes na redação. Como mensagens confusas e pouco objetivas podem distorcer ideias e comprometer o sentido do texto e a imagem do autor. Jogos, exercícios e atividades lúdicas para desenvolver a agilidade e a objetividade. As características da boa redação; quando a linguagem deve ser formal ou informal.

Ferramenta importante  na carreira e no crescimento pessoal, a expressão escrita também é um poderoso recurso da política, da economia e da cultura de um povo. Mas é preciso saber usá-la.

O TEXTO COMO ALIADO, NÃO COMO INIMIGO
Data:
2019
Horário:
das 9 às 13 h e das 14h às 18h
Duração:
Oito horas
Local:
A definir

Valor via boleto ou cartão de crédito

R$ 220,00

Objetivos

• Orientar a redação de textos de acordo com as necessidades cotidianas dos participantes

• Demonstrar exemplos de uso da redação em diferentes situações: do ENEM à busca do emprego

• Conciliar o formato objetivo da comunicação rápida com as normas de português

• Exercitar a redação de textos informativos de leitura agradável

• Treinar a redação de textos para internet e intranet corporativa

• Ajudar o participante a superar bloqueios, mostrando que a comunicação escrita pode ser espontânea e correta

• Melhorar o domínio da expressão escrita e aperfeiçoar o texto

• Revisar regras gramaticais de maneira lúdica

Benefícios aos participantes

A oficina  auxilia o participante a encarar o texto escrito como uma habilidade tão natural e espontânea quanto a comunicação oral. E facilita a tarefa cotidiana de quem precisa fazer uso da expressão escrita: no trabalho, na escola, no ENEM, no vestibular, na universidade, na busca por um emprego e nas postagens nas redes sociais.

Público-alvo

Estudantes, profissionais, pesquisadores, poetas, donas de casa. Não há barreiras quando a intenção é transformar o ato cotidiano de escrever em uma atitude mais natural e agradável.

Coordenação de Cirley Ribeiro: Jornalista profissional, formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, especialista em Tecnologia Educacional, com MBA pela FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado. Repórter experiente, com 32 anos de carreira, conquistou diversos prêmios em comunicação, entre eles o Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo, o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos e o Prêmio Ethos de Jornalismo e Responsabilidade Social. Professora de Redação e Radiojornalismo na Faculdade de Comunicação e Marketing da Fundação Armando Álvares Penteado desde 1996. Diretora da empresa O Redator, desenvolve cursos e palestras para empresas e instituições de ensino. Repórter Sênior nas Rádios Cultura FM e Cultura Brasil AM, emissoras da Fundação Padre Anchieta, nas quais trabalha desde 1988. Profissional atuante em comunicação é conselheira do Instituto Caros Ouvintes.

ATENÇÃO: Se o número necessário de inscrições não for atingido até 5 dias antes do início do curso, a data poderá ser alterada ou o dinheiro dos já inscritos devolvido.