Blog

 
 

O imexível e o imprestável

Aproveitando as notícias do dia, na sessão que discute o impeachment da presidente Dilma Rousseff o deputado Carlos Sampaio classificou de “imprestável” a defesa do advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo. O termo até faz lembrar a ocasião em que o ex-ministro do Trabalho, Antônio Rogério Magri, inovou ao declarar que o Plano Collor era “imexível”, ou seja, não poderia ser modificado ou desconsiderado. O neologismo de Magri rendeu comentários, críticas e sátiras. Hoje seria meme na certa.

Mas o adjetivo utilizado pelo deputado favorável ao impeachment de Dilma consta no dicionário. “Imprestável” é tudo aquilo que não presta,  que é inútil, como o discurso de José Eduardo Cardozo,  na avaliação do parlamentar do PSDB. Ele disse ainda que o advogado “amesquinhou” o papel da Advocacia Geral da União ao defender Dilma Rousseff. Do verbo transito direto “amesquinhar”, Sampaio aplicou o termo não no sentido de avarento, mas de depreciação.

Deixe um Comentário